Tradutor

Google-Translate-ChineseGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish

domingo, 26 de agosto de 2012

Hoje


Uma aragem fresca dissipando os últimos vestígios do amanhecer.
Meia dúzia de árvores, uma “praia” de areia grossa.
Um riacho de aguas transparentes desaguando no rio verde e largo.
Um cavalito castanho pastando num campo perto.
Uma garça ensaiando o voo.
Tão perto da cidade grande pude atirar com os pensamentos sombrios à corrente fria.
Hoje de manhã pedi emprestado um pouco de serenidade e conciliação.
Resta-me saber como cuidar delas. 

24 comentários:

  1. Hás de cuidas muito bem delas.E esse cenário, te ajudará! abração,chica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Chica,

      Julgo que tens mais confiança do que eu!
      Por vezes é difícil, mesmo quando o cenário é idílico.

      Abraço

      Eliminar
  2. Que beleza de cenário!
    Se o imaginaste...irás cuidar bem dele,estou certa!
    Beijo.
    isa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Isa,

      Não imaginei, existe mesmo! Segue o rio.

      Abraço

      Eliminar
  3. Qué lindo texto, tiene una gran belleza. Un abrazo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Jessica,

      A beleza esta neste rio Tejo!

      Abraço

      Eliminar
  4. Paraíso, não é?
    A serenidade e conciliação (contigo?) tu consegues - basta sentares-te um pouco e apreciar essa beleza que tens à tua frente e tão bem descreveste.

    Uma garrafa de um bom espumante, bem fresquinho, também ajuda!!!

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. JP, não induzas Argos a espumantes, não percebes que ele é um poeta sem artifícios? Bom menino.
      Risos...

      Eliminar
    2. Fernanda,
      Já percebi que não devia ter aconselhado o Argos....hã, "poeta sem artifícios"? Mais um título!
      É que ele bebeu tudo e o computador expulsou-o também (mais uma).

      Mais risos...

      Eliminar
    3. JP,

      Felizmente ainda há alguns "paraísos" destes, basta subir um pouco o rio.
      Agora a serenidade e a conciliação comigo...um pouco mais difícil!
      Garrafa de espumante logo de manhã???
      E não vale dizer que de manhã é que começa o dia!

      Abraço

      Eliminar
    4. Olá Fernanda,

      Fico feliz por te ver aqui...
      Eu sou um poeta?
      Nem com todas as palavras do mundo ia lá!
      (O espumante também dispenso)

      Abraço grande


      Eliminar
    5. Garrafa de espumante logo de manhã? Também podia ser, mas o espumante era para cuidares da serenidade e da conciliação! E de ti, já agora!

      Abraço

      Eliminar
    6. JP,

      Serenidade e uma espécie de conciliação, só ali e noutros locais como aquele.
      Logo o espumante...
      Cuidar de mim com espumante?
      agora fizeste-me sorrir!

      Abraço

      Eliminar
  5. Tuas palavras já sabem cuidar tão bem, que me encantei.
    Bjo querido Argos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fernanda,

      Cuida-te, precisamos de ti!
      ;)

      Abraço grande

      Eliminar
    2. Estou tentando Argos.
      Vou ficar bem.

      Beijo

      Eliminar
  6. E emprestaram-te?

    Como cuidar?
    Com serenidade, com conciliação e, digo eu, com paz.
    Paz com o mundo, paz contigo?!
    Paz!

    E o JP a dar-te uma bela sugestão.

    Tão lindo, tu! (JP, claro!)

    Abraço aos dois? Não me apetece. Tenho calor!!!!

    Foge!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Menina Teresa só dou boas sugestões. Aos amigos, claro.
      E tu tanto me chamas peste como lindo....linda peste querias tu dizer?
      E estou a ver que hoje não te apetece muita coisa.

      Beijinho, mesmo que não saiba bem se mereces

      Eliminar
    2. Olha a Teresa!

      Também andavas fugida?
      Pois!
      Mas aqui há democracia ao contrário de outros sítios...

      A natureza emprestou-me serenidade sim, empresta sempre.
      Por vezes eu é que não consigo transformá-la em paz.

      Abraço grande, mesmo com calor.
      (o propósito do abraço não é mesmo esse? Transmitir calor interior?)

      P.S. Os conselhos do JP? Sempre "bons"!






      Eliminar
    3. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
  7. Risos...
    Argos como posso defender-te assim? Nem poeta queres ser?Aff.
    Vou tirar-te o tapete ou o abraço? Risos...

    Bjo

    ResponderEliminar
  8. Nossa JP! E eu que estava precisando de um espumante destes rsrsrrs.

    Mas argos é "multi".Risos...

    Bjo

    ResponderEliminar
  9. Olá Argos

    Conforme todos os teus amigos já aqui disseram, essa é uma paisagem idílica "real" que a maioria não tem a possibilidade dela desfrutar e usufruir. Por isso, o meu conselho é que a aproveites bem e não te queixes da vida.

    Quanto à serenidade e conciliação, é uma questão de querer, de vontade, de saberes o que na realidade desejas e lutar sempre até ao limite (que é ilimitado...) até conseguires alcançar o teu objectivo. "Querer é poder" e "Quem procura sempre alcança".

    Um abraço amigo

    ResponderEliminar
  10. Tétis,

    Como já te disse várias vezes, até no azar é preciso sorte e eu tive muita. Tenho uma família maravilhosa que me apoia incondicionalmente.
    Não me queixo da vida, há pessoas com problemas maiores do que os meus ( embora os nossos, por serem nossos pareçam sempre imensuráveis). Como disse, não me queixo da vida, posso é não querer uma conciliação total, porque no meu caso seria parar ( todos somos diferentes)e parar seria morrer. Daí os pensamentos sombrios ou as minhas eternas dúvidas.
    Acredita que se um dia achar que a vida já não vale a pena, não me vou queixar!
    Sei que está confuso, as palavras não são o meu forte.

    Relativamente à paisagem, ela é bem real e muito perto da nossa cidade. E acredito que a maioria pode muito bem usufruir dos pequenos prazeres da natureza, desde que os saiba procurar. Não são parques pagos. E até na cidade podemos encontrar muitos recantos em que a natureza está presente. As melhores horas para os desfrutar?
    De manhã bem cedinho ou à tardinha, quando a maioria das pessoas regressa a casa.

    Abraço grande

    ResponderEliminar